Saiba como cuidar dos cabelos e da pele no verão

Criada em 10/01/2018


Sol, piscina, mar e muita exposição ao sol podem prejudicar os fios e o corpo; aprenda a deixá-los hidratados e saudáveis

Com a chegada dos dias mais quentes, não percebemos, mas, precisamos cuidar dos nossos cabelos tanto quanto da nossa pele. Para esclarecer e informar sobre as principais precauções com os fios e com o nosso corpo nessa época do ano, a tricologista e dermatologista Dra Anna Cecília Andriolo apontou algumas dicas para manter o cabelo saudável e uma pele hidratada.

A primeira delas é saber escolher os melhores produtos para o seu tipo de cabelo. “No calor tendemos a lavar os cabelos com uma frequência maior e, portanto, a escolha de produtos adequados é importante para que os fios não fiquem ressecados e quebradiços! A escolha do xampu ideal depende das características do couro cabeludo e da frequência que você o lava”.

Outro passo importante para garantir cabelos saudáveis é hidratá-los ao menos uma vez por mês. De acordo com a tricologista, a hidratação e reconstrução dos fios são de extrema importância após os eventos agressores e nocivos. É importante perceber também que a sensibilidade do couro cabeludo tende a piorar no verão e nos dias mais quentes e essa vulnerabilidade pode ser uma característica própria da pessoa ou ser adquirida pela exposição solar e a agressores químicos como alisantes e tinturas, por exemplo.

Para os frequentadores de piscinas, a dica é usar produtos antes do mergulho, pois eles podem evitar que os cabelos mudem de cor por ação de algicidas (usados para manter as piscinas limpas). “Alguns produtos contém FPS na sua formulação e são ideais para quem pratica esportes ao ar livre e esportes aquáticos, mas vale lembrar da proteção física com o uso de chapéus e bonés que também é muito importante para a saúde dos fios”.

Para finalizar os cuidados com o cabelo, Anna Cecília ainda explica que dormir com os fios molhados é prejudicial. “Não dormir com os cabelos úmidos ajuda a evitar a quebra dos fios e o aparecimento de dermatites seborreicas, além de reduzir a oleosidade do couro cabeludo. Se você optar por lavar os cabelos à noite, certifique-se de que eles estão secos antes de dormir e se necessário utilize o secador a uma temperatura morna e com uma distância segura dos fios. Lembre-se: fios molhados requerem mais delicadeza e cuidado!".

Os cuidados com a pele também são indispensáveis nos dias quentes. Segundo Anna Cecília a hidratação da pele é o primeiro passo para uma pele bonita e saudável, além disso, a ingestão de no mínimo 2 litros de água por dia é fundamental. “Nessa época do ano é essencial usar hidratantes que reparem os danos à barreira cutânea e diminuam a perda de água transepidérmica. O suor, o maior número de banhos por dia no intuito de se refrescar e o uso de sabonetes em excesso podem causar alterações na pele que são corrigidas com o uso de um hidratante adequado”.

O segundo passo é o uso de filtros solares.  Proteger a pele dos raios ultravioletas, da luz visível e de outras radiações a que estamos expostos no dia a dia. O fator de proteção mínimo depende do fototipo (cor da pele) de cada paciente, da presença de alterações cutâneas e da predisposição a formação de manchas, além disso, utilizar bonés, óculos de sol, chapéus e roupas com fatores de proteção podem ser ótimos aliados na hora de cuidar da pele. “Tudo isso pode ser bem esclarecido e discutido na consulta médica. Uma pele protegida sofre menos ação do fotoenvelhecimento e está menos sujeita ao aparecimento de câncer de pele”, afirma.

Nos dias mais quentes é comum o aumento da oleosidade da pele, para isso a dermatologista recomenda o uso de águas termais e águas para controle de oleosidade, que são ricas em minerais que recuperam as peles lesadas pelo sol, desidratadas e desvitalizadas. Outra opção é a água rica em zinco, que ajuda no controle da oleosidade e refresca a pele, deixando-a com um aspecto limpo.

 Concluindo todos os cuidados com a pele, a dermatologista ainda deixa um alerta quanto ao uso de bronzeadores, relatando que eles não são indicados. “Devemos desestimular esse hábito nos brasileiros. Se mesmo sabendo de todos os riscos, a pessoa quiser bronzear, o ideal seria usar um protetor solar e não um bronzeador, minimizando um poucos os danos da radiação solar”.

 Conversar com sua dermatologista é a melhor maneira de saber quais são as suas necessidades individuais e curtir o verão de forma tranquila e protegida!


Veja também

SP começa vacinação contra febre amarela no dia 25

SP antecipa e amplia campanha de vacinação contra febre amarela

MITOS E VERDADES SOBRE QUEDA DE CABELO

SP dobra número de vacinados contra febre amarela em um ano