Anchieta é liberada após protesto

Criada em 19/06/2013


AE

O grupo formado por estudantes e outros moradores da região do Grande ABC deixou a Rodovia Anchieta após um protesto na via que durou cerca de 15 minutos. O grupo agora caminha em direção a Câmara de São Bernardo, no Paço Municipal, onde hoje acontece a sessão ordinária dos vereadores.

A manifestação chegou na Anchieta por volta das 11h15 e chegou a fechar inicialmente todas as faixas das rodovias. Depois, apenas as pistas sentido São Paulo ficaram fechadas para que os manifestantes caminhassem sentido Santos até o retorno que permitisse que a passeata fosse para o Centro da cidade.

O protesto -  O protesto começou às 7h de hoje, quando um grupo do MTST interditou a Rodovia Anchieta no km 23 com pneus, que foram queimados na sequência. Após o fechamento da via, o trânsito ficou difícil na região, mas nenhum incidente grave foi registrado. O tráfego só foi liberado por volta das 9h, horário que os manifestantes deixaram o local e decidiram caminhar para o Paço.

Após a passeata de cerca de 1h20, o grupo chegou a prefeitura de São Bernardo. O comércio no local decidiu fechar as portas e alguns trabalhadores da região também participam do ato, assim como alguns estudantes.

Segundo Alcides Severino, líder do MTST em Santo André e região, a manifestação cobrou melhorias nas más condições de trabalho no País e nos serviços públicos como: Saúde, Educação, Transporte e Segurança.

Já por volta das 11h, um grupo com cerca de 300 a 400 pessoas, sem os membros do MTST que deixou a passeata, fechou todas as faixas da Avenida Lucas Nogueira Garcez, até mesmo as do trólebus e caminhou para a Anchieta.

Apenas um ato de violência foi registrado nesta manhã de manifestação em São Bernardo. Um grupo com algumas pessoas cercou um carro da Rede Globo, que teve todos seus vidros trincados.


Veja também

Dia Nacional de Combate ao Fumo

Apesar de concessões do governo, caminhoneiros mantêm paralisação pelo 8º dia

Inverno 2018 mais frio dos últimos 100 anos. Mito ou Verdade?

SEMANA DA MULHER: Professoras lideram o ranking das ocupações femininas