'Acidente foi inevitável', diz filho de Eike Batista

Criada em 26/04/2013


AE

Thor Batista, filho do empresário Eike Batista, prestou depoimento à Justiça nesta quinta-feira, 25, sobre o atropelamento que causou a morte do ciclista Wanderson Pereira dos Santos, em 17 de março de 2012. Ele afirmou que trafegava dentro da velocidade permitida, mas que "o acidente foi inevitável", pois, quando viu o ciclista, Wanderson estava no meio da pista e não tinha condições de desviar.

Thor responde por homicídio culposo (sem intenção de matar) perante a 2ª Vara Criminal de Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, porque o acidente ocorreu na rodovia Washington Luís, nas imediações daquela cidade, quando o filho de Eike voltava de Petrópolis, na Região Serrana.

No depoimento desta quinta, Thor disse que, na noite do acidente, trafegava a 100 km/h nas retas e 70 km/h nas curvas. A velocidade permitida na estrada é de 110 km/h. O primeiro laudo apresentado pelo Ministério Público indicava que Thor estava a 135 km/h no momento do acidente, mas esse documento acabou sendo anulado pela Justiça. Um novo laudo indicou que na ocasião ele trafegava entre 100 km/h e 115 km/h.

Thor também disse que, embora não se considere culpado pelo acidente, ofereceu R$ 300 mil como indenização à família da vítima. Agora, o Ministério Público e os advogados do empresário têm cinco dias para apresentar alegações finais.


Veja também

Dia Nacional de Combate ao Fumo

Apesar de concessões do governo, caminhoneiros mantêm paralisação pelo 8º dia

Inverno 2018 mais frio dos últimos 100 anos. Mito ou Verdade?

SEMANA DA MULHER: Professoras lideram o ranking das ocupações femininas