Como escolher a melhor franquia para o seguro do seu carro

Criada em 15/08/2016


São Paulo - Você é daqueles que sempre escolhem a opção mais barata na hora de contratar o seguro do carro? Pois saiba que, além do preço, também é preciso colocar outras coisas na balança, como o valor da franquia, para evitar que o barato saia caro.

A franquia é um valor fixado na apólice que representa quanto o segurado terá que desembolsar quando ocorre algum dano parcial ao seu veículo, e a seguradora é acionada para cobrir o prejuízo. Na prática, é uma forma de o segurado ser uma espécie de sócio da seguradora em caso de acidente.

“A franquia existe para tornar o seguro economicamente viável. Se ela não existisse, todos os eventos seriam cobertos 100% pela seguradora, o que deixaria o preço da apólice muito maior”, explica Manes Erlichman, sócio diretor da Minuto Seguros.

Para Nicholas Weiser, diretor da Otimize Seguros, a franquia também é importante porque ela faz com que os motoristas sejam mais responsáveis no trânsito. “A ideia da franquia é que a seguradora ajude e exija que o cliente dirija melhor para não sofrer acidentes desnecessários. Faz com que ele cuide melhor do seu bem, e se mantenha a salvo”, diz.

O preço da franquia e do seguro são valores que variam inversamente, ou seja, quanto maior a franquia, menor será o valor do seguro, pois será maior a participação do usuário no pagamento do prejuízo.

Assim, se o valor total dos reparos for de 2.200 reais, por exemplo, com uma franquia de 1.000 reais, o segurado pagará este valor e a seguradora irá arcar com os outros 1.200 reais. Por isso é muito importante prestar atenção na franquia na hora de contratar o seguro.

EXAME.com conversou com especialistas para esclarecer quando é melhor optar por cada um dos três tipos de franquias existentes no mercado (a normal, a reduzida e a majorada). Veja abaixo qual é a mais indicada para você.

Franquia reduzida

Um motorista que circula o dia inteiro de carro tem uma chance maior de se envolver em acidentes. Por isso, o mais recomendável, nesse caso, é contratar uma franquia reduzida e pagar um pouco mais pelo seguro, pois o segurado terá mais chances de usá-lo.

Além disso, esse tipo de franquia é indicado a quem tem o orçamento mais apertado e, em caso e acidente, teria dificuldade em bancar um valor mais alto para acionar o conserto do carro.

“Quando a pessoa tem dívidas e uma conta não programada de 1.000 ou 3.000 reais impactaria muito a vida financeira dela, nesse caso seria melhor ela considerar pagar um pouco mais pelo seguro, mesmo parcelando o pagamento dele, para não ter problema com o valor da franquia caso aconteça algum acidente lá na frente”, afirma Weiser, da Otimize.

Franquia normal

Se o motorista for uma pessoa consciente no trânsito e dificilmente se envolve em acidentes, não faz sentido pagar mais pelo seguro. Nesse caso, vale a pena optar pela franquia normal e pagar um pouco menos para ter seu carro protegido.

“Muitas vezes as pessoas também não circulam muito com o veículo. Utilizam o carro somente aos finais de semana, ou fazem um trajeto curto para irem ao trabalho e deixam o automóvel o dia todo parado no estacionamento. Nessas situações, por que pagar por um seguro mais caro? Não compensa”, afirma Manes, da Minuto.

É preciso lembrar que, para definir o valor do seguro, a seguradora leva em conta o tamanho do risco que a pessoa corre de se envolver em acidentes. Para isso, avalia o perfil detalhado de cada motorista, considerando informações como estado civil, idade, sexo, se trabalha perto ou longe de casa, se tem garagem etc.

A seguradora também considera se o modelo do veículo é muito visado por bandidos —se for, isso encarece o valor do seguro. Veja quais são os 10 carros mais roubados em São Paulo e os preços dos seguros dos 10 carros mais vendidos no Brasil em julho.

Franquia majorada

Esse tipo de franquia é a menos utilizada e só é indicada a quem está realmente com o orçamento muito curto. Você tem que estar ciente de que, ao optar pela franquia majorada, seu carro estará protegido apenas de grandes acidentes.

“O valor da apólice é bem baixo, menor do que o cobrado pelo seguro normal, mas a franquia fica tão alta que o cliente acaba tendo a sensação de que o carro dele não está segurado”, enfatiza Manes. “Se sua franquia normal seria de 2.500 reais, a majorada vai ser de 5.000 reais. Geralmente é o dobro”, completa.

Quem usa o carro principalmente em rodovias também pode considerar a franquia majorada. “São pessoas que estão querendo se proteger de acidentes mais graves”, diz Weiser, da Otimize.

Quando não devo pagar a franquia?

Você não deverá pagar a franquia se houver perda total do veículo e, em algumas situações, é proibido cobrar o valor mesmo com perda parcial do bem. Por exemplo, em casos de incêndio, queda de raio e explosão, além de reparos a carros de terceiros.

Além disso, quando o motorista bate o carro, a primeira coisa a fazer é encaminhá-lo para uma oficina para que seja feito um orçamento do conserto. Se o valor do orçamento for menor do que o preço da franquia, então não vale a pena acionar o seguro.

Por exemplo, se um motorista bateu o carro e a franquia dele for de 3.000 reais, só que o conserto custa 2.500 reais, ele não deve acionar o seguro do veículo, pois o valor do reparo ficou abaixo do preço da franquia (não faz sentido pagar a mais pelo mesmo serviço).

Como baratear o seguro e a franquia sem dor de cabeça?

Uma forma de baratear seu seguro sem dor de cabeça é ser um motorista exemplar. “Quando o cliente passa um ano sem acionar o seguro, a seguradora concede a ele um bônus, que resulta em desconto na renovação do contrato”, explica Milad Kalume Neto, gerente de desenvolvimento de negócios da consultoria Jato Dynamics.

A classe de bônus é um desconto vinculado ao segurado e não ao carro ou à seguradora. Assim, você pode trocar de carro ou de seguradora e ainda manter o bônus na renovação.

Já no caso da franquia, algumas seguradoras oferecem desconto no valor que terá de ser pago pelo cliente em caso de acidente, caso ele opte por consertar o carro em uma das oficinas credenciadas por ela.

“Normalmente, os descontos variam de 10% a 25%, limitado a 500 reais. Opcionalmente, em vez do desconto na franquia, a seguradora poderá presentear o segurado com alguns dias de carro reserva, caso faça a opção pela oficina credenciada”, afirma Manes, da Minuto.


Veja também

Burger King lança dois novos hambúrgueres com picanha

As 6 melhores ações brasileiras, segundo o BTG

Real foi a moeda que mais se valorizou entre 60 países

Como escolher a melhor franquia para o seguro do seu carro