Guarapiranga supera nível que tinha há um ano e vira principal fornecedor de água em São Paulo

Criada em 12/03/2015


Com seguidas reduções na capacidade de abastecer a Grande São Paulo, o Sistema Cantareira deixou de ser, em fevereiro – pela primeira vez desde sua criação, em 1973 – o principal fornecedor de água da região metropolitana de São Paulo, posto assumido pelo Sistema Guarapiranga. 

Segundo dados da Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp), em fevereiro deste ano, o Cantareira produziu, em média, 14,03 metros cúbicos por segundo (m³/s) de água. No Guarapiranga, o valor chegou a 14,49 m³/s, seguido do Sistema Alto Tietê, que entregou 11,04 m³/s de água no período.

Na comparação entre fevereiro de 2014 e fevereiro de 2015, a retirada de água do Cantareira teve redução de 56%, o que significa diminuição de 17,74 m³/s este ano – volume suficiente para abastecer aproximadamente 5,3 milhões de pessoas durante um mês. De acordo com a Sabesp, o Cantareira, que antes do início da crise de abastecimento atendia a 8,8 milhões de pessoas, hoje produz água para cerca de 6,2 milhões de clientes.


Guarapiranga e outros sistemas

Na quarta-feira, 12 de março, o sistema Guarapiranga alcançou o nível de 71,6% da capacidade e superou pela primeira vez em mais de um ano o nível que tinha 12 meses antes. No dia 11 de março de 2014, o nível era de 71,2%.

O Guarapiranga não foi o único a subir, segundo o boletim divulgado pela Sabesp. O Sistema Cantareira subiu de 13,3% para 13,7%. Trata-se da quinta alta seguida, após um mês que começou seco e com o sistema em estabilidade. Os sistemas Alto Tietê, Rio Grande, Rio Claro e Alto Cotia também tiveram elevação de nível.



Veja também

Parque do Ibirapuera receberá pela primeira vez "Festival das Lanternas Chinesas" em março

03 celulares são roubados por hora em São Paulo

SP realiza testagem de HIV no pré-Carnaval

Carnaval 2018 do CTN festeja a folia baiana dos anos 90 e 2000