Avenida Paulista tem 19 multas por hora

Criada em 26/07/2013


AE

No primeiro dia de fiscalização das faixas exclusivas de ônibus das Avenidas Paulista e Doutor Arnaldo, 305 multas foram aplicadas para motoristas que não respeitaram a prioridade do transporte coletivo. Houve, em média, 19 multas por hora, considerando que o sistema opera das 6h às 22h.

O monitoramento por fiscais da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) e da São Paulo Transporte (SPTrans) começou na segunda (22). Nesse mesmo dia, começaram a ser autuados os condutores que não obedeceram a proibição de circular nas faixas exclusivas de ônibus da Marginal do Pinheiros. Ali, foram aplicadas 384 autuações.

Nesta via, a faixa tem 21 km, dos quais 11,6 km estão no sentido da Rodovia Castelo Branco e 9,4 km rumo a Interlagos. O horário de funcionamento dessas faixas é das 6h às 9h e das 17h às 20h, de segunda a sexta.

A multa para quem descumpre a regra e roda pela faixa de ônibus é de R$ 53,20, além de três pontos na Carteira Nacional de Habilitação (CNH)

A primeira grande via a receber faixas exclusivas para ônibus na gestão Fernando Haddad (PT) foi a Marginal do Tietê. Lá, as multas começaram a ser anotadas no dia 24 de junho. Desde então, 3.767 infrações foram registradas.

A criação de faixas exclusivas à direita é uma das principais apostas de Haddad para tentar elevar a velocidade média dos ônibus em São Paulo, que, no ano passado, girava em torno de apenas 13 km/h. Com isso, a Prefeitura espera deixar o serviço mais regular, diminuindo a superlotação e atraindo usuários do transporte individual, o que reduziria os congestionamentos.

No caso da Paulista e da Doutor Arnaldo, existem 15 agentes da CET para multar as infrações, cinco por turno. Na Marginal do Pinheiros, oito marronzinhos fazem a vistoria. 


Veja também

5 atividades para aproveitar o Dia das Crianças em São Paulo

Governo do Estado abre processo seletivo de estágio

SÃO PAULO GANHARÁ NOVO PARQUE ABERTO AO PÚBLICO E RIO ARTIFICIAL

Vitrines da Estação Trianon-Masp recebem representações de quadros da exposição "Histórias afro-atlânticas"